o amor não é o que dizem por aí

Eu acho que o amor não é o que dizem por aí. Na verdade, eu tenho certeza disso que eu acabei de dizer. Eu acredito que o amor é o “se cuida, eu amo você” que a minha mãe fala todos os dias quando saio de casa assim como também o “menino, você não me deixa em paz”. Eu acredito que o amor é quando o meu cachorrinho fica pulando no portão latindo tão alto que faz minha cabeça doer quando me vê, mas também tenho a certeza de que é o amor mais puro quando eu estou sentado e ele vem morder a minha canela. Eu acredito que o amor é as demonstrações de carinho que meus amigos fazem, mas sinto o amor deles também quando soltam “você é idiota”, “eu não vou mais aconselhar você”, “você é cabeça dura” e os “você é isso, aquilo, aqui, acolá e blá-blá-blá”. Eu acredito em muitas formas de amar, porque quem ama sabe que o amor é imenso demais para ser colocado em padrões, já que cada pessoa é um mundo e sente de formas divergentes. Ah, se um dia alguém tentar ditar o que é amor, acredite: essa pessoa não faz a mínima ideia do que está fazendo, mas não julgue, dê amor, pois, talvez, ela pode estar apenas perdida e precisando de alguém que transborde afeto.
Edvan Santos.